3. Quem é ele?

por Tifany Batateiro

Quem nada tenta, nada consegue . Tenho de ir onde a minha mãe me quer enviar para ter respostas. Depois duma noite bem atormentada por todas as minhas questões, dirigi-me à morada que encontrei na carta que li no dia anterior. Quando lá cheguei, não compreendi nada. Era o banco de França. Toda essa história só por causa de dinheiro? Que desilusão!…A minha mãe não fazia nada sem razão. Tudo o que ela fazia era sempre com um objetivo.

Chegada em frente do banco, decidi entrar para ver o que o cofre correspondente à chave tinha como conteúdo. Dinheiro? Objetos? Papéis? Fui ver um conselheiro que esperava atrás do  balcão.  Dei-lhe  as  informações  que  tinha :  Tinoue  _  921021.  Olhou  para mim duma maneira estranha, pediu-me para o seguir. Segui-o sem dizer nada, com medo de dizer uma estupidez  e  no  final  não  ter  nada.  Esperei  sozinha  numa  sala.  Pouco tempo  depois,  o conselheiro voltou com um cofre. Abro esse cofre … Havia um pouco de dinheiro, cartas e pequenas bugigangas. Encontrei uns chinelinhos, eram os meus quando era pequena. Havia fotos de paisagens com uma data e o nome do lugar no verso de cada foto. Teria viajado para cada um desses lugares? Mas quando? Nasci quando ela tinha 20 anos. Detesto segredinhos e ainda menos os da minha mãe. Abro as cartas, começo a ler alguns excertos. Lerei tudo em casa :« Marc, apesar do que aconteceu, perdoa-te »« Escolhi esse caminho, já sabes porquê. Não podia continuar assim… »« Procurar-te-á, dá-lhe tudo o que ela quer »« Hoje já tem 3 anos, o seu sorriso parece ser como o … »

As palavras começavam a se apagar por caso do tempo e da humidade. Mas quem era esse Marc? De quem está a falar? O que aconteceu entre eles? Porque não conheço esse homem? Ainda mais estranho… todas as cartas da minha mãe voltaram para ela com uma anotação final: uma data diferente, iniciais e uma palavrinha « Teu ». Era um código entre eles? Não compreendo. A única carta dedicada pela minha mãe ficou fechada. Posso abri-la? Nunca parou de lhe escrever. Tinha medo da sua resposta? O que havia nessa carta para nunca ter sido aberta? Tenho de descobrir quem é esse Marc. Saber se está vivo. No entanto, se já não faz parte desse mundo, tudo estará perdido. É a minha única esperança.

Continua…

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Literatura. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s