Adiamento – Fernando Pessoa. Narrado por Jô Soares

Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã…                                                                    Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,                                                                             E assim será possível; mas hoje não…

Não, hoje nada; hoje não posso.                                               A persistência confusa da minha subjetividade objetiva,  O sono da minha vida real, intercalado,                                O cansaço antecipado e infinito,                                          Um cansaço de mundos para apanhar um elétrico…       Esta espécie de alma…                                                              Só depois de amanhã…

Hoje quero preparar-me,                                                       Quero preparar-rne para pensar amanhã no dia seguinte…                                                       Ele é que é decisivo.                                                                                                                          Tenho já o plano traçado; mas não, hoje não traço planos…                                                        Amanhã é o dia dos planos.
Amanhã sentar-me-ei à secretária para conquistar o mundo;                                                Mas só conquistarei o mundo depois de amanhã…
Tenho vontade de chorar,
Tenho vontade de chorar muito de repente,de dentro…                                                           Não, não queiram saber mais nada, é segredo, não digo.
Só depois de amanhã…
Quando era criança o circo de domingo divertia-rne toda a semana.
Hoje só me diverte o circo de domingo de toda a semana da minha infância…
Depois de amanhã serei outro,
A minha vida triunfar-se-á,
Todas as minhas qualidades reais de inteligente, lido e prático 
Serão convocadas por um edital…
Mas por um edital de amanhã…
Hoje quero dormir, redigirei amanhã…
Por hoje, qual é o espetáculo que me repetiria a infância?
Mesmo para eu comprar os bilhetes amanhã,
Que depois de amanhã é que está bem o espetáculo…
Antes, não…
Depois de amanhã terei a pose pública que amanhã estudarei.                                                                                                                                        Depois de amanhã serei finalmente o que hoje não posso nunca ser.
Só depois de amanhã…
Tenho sono como o frio de um cão vadio.
Tenho muito sono.
Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã…
Sim, talvez só depois de amanhã…                                                                                                     O porvir…
Sim, o porvir…

Poesias de Álvaro de Campos

Dans cette vidéo, le poème Adiamento de Fernando Pessoa est raconté par Jô Soares. Adiamento signifie en portugais ajournement. Dans le cas où vous voudriez la traduction en français, vous pouvez la demander en écrivant un commentaire.

Por Alexandra Garatzogianni

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Artes, Literatura com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s